Bico de Carancho – Flávio Hanssen


20ª Tertúlia Musical Nativista – Santa Maria – RS – 2012.

BICO DE CARANCHO

Letra: Rafael Ferreira e Felipe Corso
Música: Zulmar Benitez
Intérprete: Flavio Hanssen

O tal “bico de carancho”
É freio sujeitador,
Não vou dizer que não tenho,
Não sou dos mais domador!
Volta e meia me é preciso
Pra um pingo mais coiceador.

É meu parceiro de tempos,
Desde guri tenho o jeito,
Sempre me tocou o serviço
‘Nos flete’ menos sujeito;
Já fiz muito boca seca
“Encostá” o queixo no peito!

Pra esses boca de grota
Que a rédea nunca é serena,
Desmancha o braço que agarra
E a boca segue as más penas…
Matungo olhando pra o ceu,
Sentindo quando sofrena!

E aos poucos vai calejando
A boca de algum maroto,
Carrega assim sua sina,
Pr’os que tem balda de potro;
E ir a golpe apertando a
Alíngua de um pingo e outro.

E o meu vô já me dizia…
E é um dito que eu não esbanjo:
– O que é bom já nasce pronto!
Já se diz em muto rancho…
Mas quando é ruim se endireita
Na bicada do carancho!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s