Me Chamo Terra – Daniel Torres


7ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 1987.
Composição premiada com o Terceiro Lugar.

ME CHAMO TERRA

Letra: Jayme Caetano Braum
Música: Lúcio Yanel
Intérprete: Daniel Torres

Grito do campo, da terra e do mato…
tenho do tempo da primeira lua;
espalho cinzas do fogão charrua,
atiço as brasas do sol maragato.

Das sesmarias não me deram nada
e eu dei a vida pra guardar o solo,
e a Pátria grande – minha mãe sagrada,
não teve tempo pra me erguer no colo.

Sou grito forte do campo largo;
sou doce-amargo de vida e morte;
sou vento norte – de paz e guerra;
sou mar e serra, rio, céu e pampa;
sou casco e guampa – me chamo Terra!

Grito do campo – quero independência –
meu direito de voltar semente…
Sou Terra – berço de raíz da gente
e há tanta terra na minha querência.

Subo nas grimpas do galho mais alto,
bem na forquilha, pra tourear o vento;
porque não quero no meu testamento,
filhos do campo pra lavrar o asfalto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s