Todo Galpão é Querência – Rogério Melo


13ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2005.
Composição premiada com o Segundo Lugar, Melhor Arranjo e Mehor Intérprete (Rogério Melo).

TODO GALPÃO É QUERÊNCIA

Letra: Gujo Teixeira
Música: Cristian Camargo
Intérprete: Rogério Melo

Todo galpão é querência…
aos olhos da madrugada,
porta de rumo pro norte
cuidando o tempo e a estrada,
pra quando um sonho distante
chegar pedindo pousada.

Todo galpão é querência…
quando o dia desencilha
e se acende um sol vermelho
num cerne de corunilha
e um mate mistura o gosto
de cacimba e maçanilha.

Todo galpão é querência…
toda querência é galpão…
porque há nas duas palavras
mesmo sentido e razão
de serem o mesmo lugar
e, em resumo, um coração.

Todo galpão é querência…
poncho baeta vermelha
pra quando um resto de tarde
virar garoa parelha
e descer do céu pra noite
contra o quinchado de telhas.

Todo galpão é querência…
se um baio pasta por perto
e a cachorrada ressona,
mas cuida o longe de perto
e um galo ainda acorda o dia
de peito e de bico aberto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s