Forasteiro Colera – Leonel Gomez


12ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2004.

FORASTEIRO COLERA

Letra: Evair Suarez Gomez
Música: Leonel Gomez
Intérprete: Leonel Gomez

Repisa o rastro dos cascos
Que no corredor se estende,
Parando orelha, alfateia,
Segue ao passo e sofrena…
De barrigueira morena,
D’algum ressojo de sanga.

Um forasteiro colera
Deu sinal à cachorrada,
Traz a silhueta atorada
Pela légua da distância
Ou no renegue da pampa
Que acolherou “a lo largo”.

Me vi montado a cavalo,
Como que ontem recuerdo
Um forasteiro moreno
Chismiou, assim, um piazito…
Quando apeei, despacito,
Num “buenas noite” campeiro.

Por certo a libra prateada
Que alumbra as madrugadas,
Escora e sabe o motivo
Destes de rastro esquecido…
Perambulando na vida
Sobre um olhar forasteiro.

Igual igual é o mundo
De qualquer ser forasteiro,
Sobra um olhar “matrero”
Pra quem não tem parador
Nem tampouco bebedor
Sobre o brilho do luzeiro.

Dei uma pausa no pêlo
Que rasquetiava do mouro,
Pois, escoltado a cachorro,
Se arrima manso o colera…
No cancelão da mangueira,
Ensaiando um abano!…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s