De Campo e Crina – Marcio Nunes Corrêa e Gustavo Teixeira


1º Um Canto Para Martin Fierro – Santana do Livramento – RS – 1999.
Troféu de Melhor Intrumentista para o Lúcio Yanel, que fez participação nesta música.

DE CAMPO E CRINA

Letra: Marcio Nunes Corrêa
Música: Adriano Barcellos
Intérprete: Marcio Nunes Corrêa e Gustavo Teixeira

Negro Juca… Campeiro,
Corpo leve no arreio,
Sorriso inteiro no rosto
Com pureza pelo meio.
No vidro do olhar moreno
O espelho da querência,
Um coração campechano
Sem ressaibos na essência.

Negro Juca… Posteiro
Num fundo de corredor,
Rancho pobre de campanha
Com riqueza interior.
Ao pé da figueira grande
Espuma o mate do agrado
Com a flor do seu encanto,
Perfumando no costado.

Quem cruzar aqui no sul
N’algum sonho viageiro
Vai se topar com a verdade,
Montando um zaino estreleiro,
Com a alma em aquarela
Colorindo uma bandeira.
Maestro de campo e crina,
Orquestrando na fronteira.

Negro Juca… Estradeiro,
Com o horizonte na fronte,
Entre a nuvem de garoa
Traz o Rio Grande por diante,
E um ponchito azulego
De baeta colorada,
O próprio perfil da pampa
Que se acampa pela estrada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s