Todo Esse Verde Nos Olhos – Luiz Marenco


9ª Estância da Canção Gaúcha – São Gabriel – RS – 2001.*

TODO ESSE VERDE NOS OLHOS

Letra: Gujo Teixeira
Música: Luiz Marenco
Intérprete: Luiz Marenco

Todo esse verde nos olhos
que a casa mira de frente
me vem do sangue ancestral
dos olhos de minha gente.
São mólhos e cinamomos
rincoes de mato e invernadas
sao campos e várzeas largas
que seguem além desta estrada.

Meus olhos sabem do verde
pois ajudaram a cuidá-lo
sao mansos rondando tropas
ágeis montando cavalos.
Temem um tempo escuro
pois sabem de olhos fechados
que nunca foram do campo
nos olharem do outro lado.

Todo este verde estendido
que os meus olhos sabem ter
não são assim, por acaso
sao verdes por merecer.
E assim por toda vida
vao sempre nos dar o pao
no ciclo normal do campo
serao dos meus que virao.

Depois das chuvas que choram
meus olhos verdejam mais
pois trazem na cor da terra
o gen que herdei de meus pais.
Pois o campo sabe o jeito
de entregar-se a um amigo
empresta todo o seu verde
pra amarelar-se de trigo.

Mas tem sempre alguém a olhar
e a desejar nosso verde
rondam as margens do rio
e morrem da própria sede.
Trazendo a dor e o escuro
afiando espinhos nos mólhos
pois nao sabem que este verde
me vem do campo pra os olhos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s