Entre o Basto e o Chapéu – Giordan Gomes


8º Canto Moleque da Canção Nativa – Candiota – RS – 1998.
Composição premiada com a Melhor Melodia.

ENTRE O BASTO E O CHAPÉU

Letra: Lisandro Amaral
Música: Lisandro Amaral
Intérprete: Giordan Gomes

Peonada buena repontando a gadaria
Antes que o dia ponha tom no azul do céu,
Já quebram vento no pêlo da cavalhada,
Alma encordoada, entre o basto e o chapéu.

Pego-lhe o grito, correteando as chimarronas,
Engrosso o timbre pra cantar nas madrugadas…
Bem redomão este gateado que hoje encilho,
Já sabe o trilho e o rigor das invernadas.

É um nobre hino este som que vem da pampa
E embala a estampa de homens livres da ganância.
A calejar tempos e sonhos de a cavalo,
Antes que o galo queira despertar a estância.

Carrega o corpo, este é pingaço, Julio véio,
Se vai ao mato a mascarada do patrão…
Leva-lhe a mão no doze braça e empurra a trança,
Que ela se amansa quando o pealo entra “nas mão”!

Tiniu a espora do ginete Preto Soares,
Vem pelos ares um bagual mouro bragado,
Que se topou com a bravura d’um fronteiro,
Garrão campeiro de lidar co’s aporreados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s