Benquerença – Luiz Marenco e Quarteto Coração de Potro


6ª Nevada da Canção Nativa – São Joaquim – SC – 2016.

BENQUERENÇA

Letra: Fábio Maciel
Música: Vitor Amorim
Intérpretes: Luiz Marenco e Quarteto Coração de Potro

Te encontro sempre, chinita,
Madrugada ou fim de dia…
E quando toco teu corpo
Te sinto sempre mais fria…

Então te afago e te levo…
De encontro a tua morada…
Casita simples, humilde…
E mesmo assim cobiçada.

Provo o teu beijo, chinita,
Outra vez mais, encantado…
Fico bombeando teu corpo…
…quero saber teu passado.

Andas comigo – hace tiempo
E de ti, sei quase nada…
Desconheço de onde vieste…
…onde mais foste beijada?

Tens meu apreço, chinita…
E te confesso esta hora
És a maior benquerença
De todas que tenho agora.

Talvez por isso me indague…
Por onde foi que andaste,
Tiveste em quantas moradas,
…e quantos lábios provaste?

Eu sei que és minha, chinita…
Também que ofertas teus beijos
A tantos outros que chegam
Mesclando sede e desejo.

Mesmo beijando esses tantos,
Meu coração, não maltratas,
Entendo que é teu destino,
Bombita de ouro e prata…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s