Vozes Rurais – João de Almeida Neto


1º Musicanto Sul-Americano de Nativismo – Santa Rosa – RS – 1983.

VOZES RURAIS

Letra: João de Almeida Neto
Música: João de Almeida Neto
Intérprete: João de Almeida Neto

Cada vez que um campeiro abre o peito
Num galpão interior que ele traz,
Quem não quer o Rio Grande cantando
Com razões, sem sentidos, desfaz.

Mas no meio de tantos estranhos,
Momentistas e circunstanciais,
Surge o forte refrão das campanhas
Entoado por vozes rurais.

Dê-lhe boca essas bocas cantoras,
Redentora da voz dos galpões.
Dê-lhe pata e desata esse brado
Dos sagrados rituais dos fogões.

E entre cantos que negam e fogem,
Aos atávicos tons musicais.
Estão eles de bota e bombacha,
Sustentando os padrões culturais.

Que não falte coragem a esses homens,
Contra o tempo aguentando o repuxo,
E que as estranhas tendências imponham
O autêntico canto gaúcho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s