Vozes de Campo – Os Tiranos


11º Ronco do Bugio – São Francisco de Paula – RS – 1997.

VOZES DE CAMPO

Letra: Ângelo Marques e Ricardo Marques
Música: Léo Ribeiro de Souza
Intérprete: Os Tiranos

Esses homens que cantam terrunhos encantos,
Sem mudar de tranco rebrotam das cinzas…
Iguais às cigarras a cada verão
E não há, meu irmão, uma cantiga mais linda.

Um jogo de fóle, um entono campeiro,
Uns versos brejeiros cantados com calma
São armas que uso pra manterem vivas
As essências nativas que trago na alma.

Se é bagual, é bagual! Se é bugio, é bugio!
Tá escrito na neve do chão…
Esse ronco é meu filho, eu sou filho do frio
Com braseiros pelo coração.

Quem perde a raíz, esquece sua gente
E logo na frente já muda a estampa…
Por isso não custa trazer no costado
Crioulos legados deixados na Pampa.

O eco das gaitas são vozes do campo…
Poncho não é manto, poço não é rio!
Quem acende fogo tem lenha por perto,
Quem tem pulso aberto não toca bugio!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s