De Campeiro e Domador – Eri Cortes


1º Teiniaguá da Canção Nativa – Quaraí – RS – 2000.

DE CAMPEIRO E DOMADOR

Letra: Paulo Costa
Música: Eri Cortes e Marcos Reis
Intérprete: Eri Cortes

O sol traz vida pro rancho de quem mateia
E a lua cheia se foi com o cantar dos galos.
O dia acorda, fumaceando o banhadal,
E o serenal lustra os cascos dos cavalos.

Um vento frio faz cantiga nas coxilhas
E uma tropilha, gavionando, marca o pasto.
Trago o Rio Grande na rosesta das esporas
E campo afora, enforquilhado num basto.

Esta é a sina que Deus deu pra minha vida,
Na xucra lida de campeiro e domador.
Eu sou gaúcho, tenho orgulho deste sangue,
Do meu Rio Grande, a minha pátria, sim senhor!

Fiz meu destino nesta sina de campeiro
E de parceiro a solidão das estradas.
Pelas estâncias, domando potros alheios,
Batendo arreio no lombo da bagualada.

Talvez um dia quando o patrão me chamar
Pra camperear lá na estância do Senhor.
Alguma estrela gaviona e mal domada
Dará pousada pras garras de um domador.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s