Os Dois Extremos de um Laço – Pedro Guerra Pimentel


Ronda Virtual da Canção – 2020.

OS DOIS EXTREMOS DE UM LAÇO

Letra: Martim César
Melodia: Pedro Guerra Pimentel
Intérprete: Pedro Guerra Pimentel

Um velho e um menino se encontram
Em alguma praça do mundo
Passado frente ao futuro
E um breve e eterno abraço
O tempo detém seu passo
E num instante se resume
Pois vê que neles se unem
Os dois extremos de um laço

Devagar cai uma lágrima
Nas vergas do rosto do velho
E o tempo é um rio de recuerdos
Brotando desde a infância
Como esquecer a distância
Que hoje pesa em seus ombros
Se para tantos escombros
A alma já não lhe alcança?

O menino volta aos brinquedos
Sem entender que esse encontro
Jamais se dará de novo
Pois não há regresso no tempo…
Talvez quando fique velho
Um outro menino o abrace
Como se a vida brincasse
De ver-se inteira no espelho.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s