Semente Morena – Rui Biriva


5ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 1985.

SEMENTE MORENA

Letra: Ítalo Pereyra
Música: Nilo Bairros de Brum
Intérprete: Rui Biriva

Essa semente morena
Abriga um plano de paz.
Seu ventre guarda a promessa
Que um dia germinará.
A espiga que se agita
Na madurez dos trigais,
Parece dizer que os homens
Tal, como os grãos, são iguais.

Quem teria separado
A terra, o braço, a semente?
Por que há gente sem terra?
Por que há terra sem gente?

Quando o trigo amadurece
Vem a brisa encabulada
A bailar à luz do sol,
Cantando rimas douradas.
Canto eu também o trigo
Semeando rimas além.
Na esperança que ele brote
Nas mesas que não o tem.

Vem surgindo um vento novo
A cantar velhas cantigas,
Renovando a sinfonia
Do leve rouçar das espigas.
Há matizes de esperança
Nas ondas loiras do trigo.
E essa promessa de terra
Que eu quero cantar contigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s