Cancha Reta – Grupo Amizade


1ª Seara da Canção – Carazinho – RS – 1981.
Composição premiada com o Melhor Conjunto Instrumental.

CANCHA RETA

Letra: Uirassu Frederes
Melodia: Carlos Alberto Clotz e Walmir Pinheiro
Intérpretes: Grupo Amizade

Lá na fronteira. num dia de carreirada.
Se alvorota a peonada numa intensa agitação.
Tem muito cedo, no bolicho da ramada,
Truco de amostra virado, tava, pinga e chimarrão.

Formada a roda de oito tauras num repente,
Se aproxima muita gente, vendo as cartas do seu Zé.
Mané Torquato, com flor de quarenta e quatro,
Botou contra-flor o resto perdendo porque era pé.

O seu Terêncio, treinador do pingo baio,
Que é mais rápido que um raio e respeitado no rincão,
Enfrena contra o parelheiro do João Cruz,
Vai dar cara, volta e luz e é por certo um barbadão.

Que baio bueno que não respeita parada,
Já baixou de dezesseis correndo em terra lavrada!
Que baio bueno que não respeita parada,
Já baixou de dezesseis correndo em terra lavrada!

Aperta a tava dom Porfírio tiro certo,
Que atirando longe ou perto, sempre a coisa fica feia.
Dá dez por cinco pra poder sair parada,
Porque é certa uma clavada num tiro de volta e meia.

Muita guaiaca se esparrama pelo chão,
Cai pataca, cai dobrão, que já nem circulam mais.
O tiro marcha dom Porfírio fica fulo,
Foi sem sorte, botou culo, sai desta se for capaz.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s