A Mão Esquerda de Um Sábio – Arthur Bonilla


28ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 2008.

A MÃO ESQUERDA DE UM SÁBIO

Letra: Carlos Omar Vilella Gomes
Melodia: Arthur Bonilla
Intérprete: Arthur Bonilla

Alguns dos meus alfarrábios
Foi essa mão que escreveu,
Talvez os mais importantes
E bem maiores que eu.

A mão esquerda de um sábio,
A mão que me socorreu
Nos meus primeiros tropeços,
Nesses caminhos sem Deus.

Não vou buscar nos relógios
As entrelinhas do tempo
Para encontrar os vestigios
Que forjam meus pensamentos.

Pela aridez das ideias
Ouvi conselhos fecundos,
Mostrando os códigos velhos
Que ainda regem o mundo.

Miro um olhar de colheita
De quem semeou mais além,
Um sábio e sua mão esquerda
Guiando os passos de alguém.

Miro o olhar de um gaúcho
Que enxerga o mundo também
Muito maior que o planeta,
Quase do porte que tem.

Alma campeira e altiva,
Peito de pai e poeta,
A mão esquerda de um sábio,
Das linhas tortas faz retas.

Impede as voltas da vida
E tem a vida completa,
Palanque bom que não cimbra
Pela postura correta.

Eu tenho orgulho do pai
E mais orgulho do homem
Que sabe bem onde va,
Mesmo se os trilhos se somem.

O elo que nos cativa
Não há destino que corte,
Quer sejam quantas as vidas,
Quer sejam quantas as mortes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s