Na Encruzilhada – Volmir Coelho


25ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2017.

NA ENCRUZILHADA

Letra: Volmir Coelho
Melodia: Volmir Coelho
Interprete: Volmir Coelho

Eu vinha bem estribado
Pelegão poncho emalado
Numa noite que era um breu
Um palheiro chamuscando
Contra o vento fumegando
Vejam o que me aconteceu.

Meu gateado que era um gato
Se deu volta num buraco
E o céu troca pro chão,
Minhas esporas prateada
com as estrelas se alumiava
Junto com o palheiro meu.

Meu mundo trocou de ponta,
Pergunto, afinal de conta
Por que tinha que ser eu?
Tinham soltado um despacho,
Tinha um galo e um chibo guacho
Meu gateado se perdeu.

Uma champanhe importada
Pipoca doce e salgada
E velas de toda cor
Um fogaréu levantando
Meu poncho véio incendiando
Gritei por nosso Senhor.

Eu vinha bem estribado
Carregando meu pecado
Naquela noite gelada,
E naquela encruzilhada
Depois de trocar de ponta
Foi aí que me dei conta,
Que sem Deus eu não sou nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s