Caminho de Sempre – André Teixeira


26ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2018.

CAMINHO DE SEMPRE

Letra: Francisco Brasil
Melodia: André Teixeira
Intérprete: André Teixeira

O sol se põe de’a pouquito
detrás da porteira velha
do mataburro quebrado.
E o campeiro, num tostado,
tranco e tranco, retornando…
vai contente e vai charlando
com seu perrito tigrado.

Vez em quando, garra um trote…
Chacoalha o laço nos tentos
e os bastos ringem – pois não! –
Cruza por cerro e lagoão,
costa de mato e banhado…
onde a garça segue o gado,
que nem lhe põe atenção.

Co’estes fundos recorridos,
– pondo o olho em vaca fraca,
bombeando o arame e contando…–
fecha um cigarro, voltando…
Bom fumo Ramo de Ouro,
que vale mais que um tesouro
pra’o que se aquece pitando!

Capinchos mansos no passo,
lebre arisca que dispara,
sorro ladino gritando…
Em seu rumo, serpenteando,
as vezes some em descidas,
e quando sobe, em seguida,
vai contra o céu repechando.

Já vai seco por um mate…
E no galpão, pela hora,
(e pelo frio!) não se engana:
queima um restito de trama
que repartia um potreiro.
Ultima ajuda aos campeiros
da divisa veterana.

Como pode este caminho
– este caminho de sempre –
estar sempre mais bonito?
Pedras rodeando um cerrito…
Velho açude feito a boi…
Tudo que o pago já foi
ficou aqui… infinito!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s