O Grito dos Sentinelas – Fernando Carvalho e Adams Cezar


29ª Coxilha nativista – Cruz Alta – RS – 2009.
Composição que conquistou o Primeiro Lugar na Fase Local, Música Mais Popular, Melhor Conjunto Instrumental e Melhor Indumentária.

O GRITO DOS SENTINELAS

Letra: Volmar Camargo
Música: Marcelo Cortes de Carvalho
Intérpretes: Fernando Carvalho e Adams Cezar

Vem lá de fora esse rumor de inquietudes…
Na amplitude, quero-queros a migrar!
Em tons rasantes, vejo campeando caminhos,
Sem par, sem ninho e sem lugar para pousar.

Lá das alturas denunciam em seus cantos:
Não há mais campos e o banhado já secou…
E o que restou de algum ponteiro de aramados,
A pá do arado, em lavoura transformou!

Sentando as puas, dia e noite, noite e dia…
Sempre em vigia pra não cair em mundéus,
Esse “téus-téus” se emparceirando comigo,
Pedem abrigo pela terra e pelos céus…

Em revoada a confraia dos pernaltas,
Já se ressalta lá por riba dos telhados;
Quebram o ditado de nunca pousar nas casas,
Mas nessa vaza, hoje, os bichos têm pousado.

Vejo um casal no alto do apartamento,
Me instigo alerto do amanhã que há de vir!
Vou prosseguir espiando, ao longe na janela,
Os sentinelas, na cidade a resistir!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s