Tô de Volta Chamarrita – Kiko Goulart e Índio Ribeiro


14º Acampamento da Canção Nativa – Campo Bom – RS – 2015.

TÔ DE VOLTA CHAMARRITA

Letra: Rogério Villagran
Música: Kiko Goulart
Intérpretes: Kiko Goulart e Índio Ribeiro

Chamarrita, chamarrita
Diz pra ela que eu voltei
Venho com a alma empoeirada
Das lonjuras que cruzei
Trago os arreios judiados
E as cordas que arrebentei
Lidando com uma potrada
Que pra o serviço domei
Só não pude “tirá” as baldas
Da saudade que aporriei

Chamarrita, eu tenho pena
Do meu pobre coração
Que é igual palanque de angico
Aguentador de tirão
Mas tem andado “flaquito”
À soga com a solidão
Jogado igual laço velho
Enrodilhado no chão
Arremalhado dos pealos
Mais certeiros da paixão

Chamarrita, diz pra ela
Que eu saltei de madrugada
E o dia rompeu pra mim
Na volta grande da estrada
Eu de lenço esparramado
Meu mouro de cola atada
Entre o assovio de uma copla
E um grito forte com a eguada
E o sol clareando o meu mundo
No rumo da minha amada

Chamarrita, chamarrita
Tô de volta, diz pra ela
Me vejo boleando a perna
Na frente do rancho dela
Eu sempre fui andarilho
Porque o destino atropela
Mas agora por capricho
Venho costear na cancela
E me entregar ao feitiço
Dos olhos da minha bela

Morena, me dá licença
Que esta ansiedade me aflita
E eu arrasto minhas esporas
Se o meu instinto palpita
Morena do meu fascino
de todas, a mais bonita
Meu tempo , minha querência
Meu sorriso, morenita
Graças a Deus, minha linda
Tô de volta, chamarrita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s