Mate do Estrivo – Leôncio Severo


15ª Vigília do Canto Gaúcho – Cachoeira do Sul – RS – 2004.
Composição premiada com o Terceiro Lugar.

“MATE DO ESTRIVO”

Letra: Rogério Ávila
Música: Leôncio Severo
Intérprete: Leôncio Severo

Um ventito corta o campo
Neste clarear “vierne santo”
E um pañuelo ganha asas…
Até não posso culpá-lo
Porque o trote do cavalo
Se apura ao chegar nas casas!

Que mirada abençoada…
Encontrar-te, flor amada,
Me esperando assim tão bela…
Isso é tudo que preciso:
Enxergar o teu sorriso
Num saludo na cancela!

Amor…
Meu cavalo tá encilhado,
Pateando, de cacho atado,
Porque sabe, no costado,
Vai teu zaino de selim!

Amor…
Fiz um ranchito fronteiro
Com ramada no terreiro,
Onde tenho o dia inteiro
Um perfume de ‘alelí’!

Assim…
Deixa pra o teu lindo pago
Um adeus no mate amargo…
E um longo beijo para mim!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s