Fognoneira Alma Só – Marcio Nunes Corrêa


14ª Reculuta da Canção Crioula – Guaíba – RS – 1997.

FOGONEIRA ALMA SÓ

Letra: Marcio Nunes Corrêa
Música: Alessandro Ferreira
Intérprete: Marcio Nunes Corrêa

Fogoneira alma bugra
que hoje acordou mais cedo,
– porque uma insônia morena
boleou a perna de vez –
Os sonhos lindos da moça
já não me consolam mais,
a lua perdeu o entono
e a magia se desfez!

Fogoneira alma mansa
que num poncho se aninhou,
taloneando uma tristeza
que o peito aquerenciou…
Uma cambona dengosa
chorando águas de rio,
– que um mate se faz consolo
sempre que o amor partiu!

Fogoneira alma guria
– silhueta de um campeiro –
costeando um fogo grande
na ilusão de se aquentar,
que a saudade é inverneira
de um agosto infindo…
que não hay poncho, por bueno
que consiga acalentar!…

As brasas clareiam garras
na moldura galponeira,
prelúdio de campo e lida
pra uma alma ser campeira.
Talvez encontre na lida
o que o vento me levou:
– o perfume que há na vida
pra minh’alma ter amor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s