Tirão – Beto Ventura e Alexandre Matheus da Silva


7ª Sapecada da Serra Catarinense – Lages – SC – 2007.

TIRÃO

Letra: Leoduvino Ramos da Silva e Cassiano Eduardo Pinto
Música: Alexandre Matheus da Silva
Intérpretes: Beto Ventura e Alexandre Matheus da Silva

O potro perdeu as mãos
Num tranco de chegar cedo,
A lida mostra segredos
Quando a coisa fica feia.
As vezes pisa na ‘oreia’,
Outras cruza do avesso,
Cada pealo é um recomeço
Pra quem segue na peleia.

O horizonte se apequena,
Cai a tava e mostra culo,
Quem vem no primeiro pulo
De um jeito cego e teatino…
Bem sabe que o destino
Não manda flor pra finado
E num modo desbocado
Não pode perder o tino!

Numa doma bem baguala
De mula ou potro velhaco,
Um índio enforquilhado
Luta pra educar da boca.
Até um susto é coisa pouca
Pra quem é bem traquejado!

Tudo segue seu ciclo…
A existência pede bolada,
Mesmo de alma trucada
No meio da situação,
Na rodada de tirão,
Levanta o pingo no freio,
Abre a perna sem floreio,
Saindo de rédea na mão.

No apagar da polvadeira
Vence sempre o mais forte,
Na luta de vida e morte
Se extravia as ‘pataca’!
Mesmo no fim da estaca,
Todo homem é capaz
De mostrar como se faz…
Quando na doma se atraca!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s