Peão de Remates – Rui Carlos Ávila


3ª Bicuíra da Canção Nativa – Rio Grande – RS – 2007.

PEÃO DE REMATES

Letra: Vasco Velleda
Música: Roberto Luzardo
Intérprete: Rui Carlos Ávila

Uma flor de matéria
Em riba de uma televisão “véia”, que não funciona,
Na sala dum rancho pobre na costa do Piraí…
To aqui, “nas rua” desta cidade.

Muda da terra que “pegou” nas pedras
E pras calçadas empresta o seu verdor,
O fruto verde que foi arrancado
E amadurado, guardando um sabor.

Sabor de fome, de suor, de arado
E do cercado que o boi pisoteou,
Da sanga, açude, manantial, lagoa,
No grito branco que o vento levou.

Eu trago o campo que perdi dos olhos
Numa vertente, no meu coração.
Fruto nativo que escorre das veias
E brota em notas no meu violão.

Mas deixo, aos outros, ruminares penas
E as cantilenas de laço e cambicho,
E sigo, cego, pelos arremates
Tocando as vacas, carregano lixo.

Olho de frente pra estes barrigudos
Tomando uísque e comendo salgado…
E sinto pena de quem tá na volta
Juntando a sobra e admirando gado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s