Vire o Mate – Manolo


2º Musicanto Sul-Americano de Nativismo – Santa Rosa – 1984.
Composição premiada como Música Mais Popular.

VIRE O MATE

Letra: Manuel Oribe Fernandez Alves
Música: Manuel Oribe Fernandez Alves
Intérprete: Manolo

Ah! Mate, cigarro e trago
Que triângulo misterioso,
Que se consome harmonioso
E se transforma em afago,
De idéias todas bagualas
Do guasca que na pobreza
Faz poesias libertárias.

Vire o mate companheiro
Vamos dar-lhe uma encilhada
Assim “começamo” o dia
Bem no fim da madrugada.

O farol do sol é chama
Que avisa da campereada
Coisa que vista de longe
Até parece de farra,
Mas depois de estar em cima
Se torna muito velhaca
Amigo, segure o boi
Que é diferente da vaca.

O capim engorda o boi
Que se vai para as “Europa”
E o guasca só faz na tropa
Um charque pra gurizada
Que cresce sem saber nada
E o homem fica com o grosso
E pra nós não fica nada.

No churrasco ponho sal
Nos prazeres, mais um pouco
O meu guri anda mal,
Minha prenda no sufoco
E eu ando de pago em pago
O mesmo que capão louco
Por pobre ando em bolichos
Sonhando e gastando os “trocos”.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s