Sem Paz e Sem Caminho – Tuny Brum


18º Grito do Nativismo – Jaguari – RS – 2004.*

SEM PAZ E SEM CAMINHO

Letra: Carlos Omar Villela Gomes e Érlon Péricles
Música: Tuny Brum
Intérprete: Tuny Brum

Que pena, morena…
A dor foi encontrar abrigo no teu coração.
A flor do amor ficou tão triste,
Despetalou quando partiste
E o cheiro que inundava a casa, se acabou.

Pequena morena…
A luz verteu em duas lágrimas do teu olhar,
Um outro olhar ficou sozinho,
Ficou sem paz e sem caminho,
Buscando em cada parede o que restou.

Morena…
Talvez alguma sombra triste reste atrás da porta,
No quarto a lembrança viva de uma história morta,
Na alma de quem fica o vulto de quem já se foi…

As penas…
Acenam em cada janela, como em despedida,
Inundam os teus olhos negros, maldizendo a vida,
A vida que negou à casa um sonhar a dois.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s