Pausa na Marcha – Roberto Luzardo


16ª Reculuta da Canção Crioula – Guaíba – RS – 2001.

PAUSA NA MARCHA

Letra: Guilherme Collares
Música: Roberto Luzardo
Intérprete: Roberto Luzardo

Meu verso boleia a perna
Na curva de um corredor
Um pôr de sol colorado
Veste de um gris azulado
A copa das corticeiras
Sangradas de seiva em flor

Meu verso cansado e triste
Havia um fogo empeçar
Esperando a noite larga
Mateio as ânsias amargas
Dos meus penares vaqueanos
Já gastos de tanto andar

Meu verso amargo e solito
De tanto buscar sem ter
Vislumbra a D’alva imponente
num sol vermelho nascente
Beber água da vertente
Da luz de um amanhecer

Meu verso encilha despácio
Na manhazita o ritual
Como quem recorre um campo
Sem pressa por companheira
Assobiando uma coplita
Sem princípio, nem final

Meu verso procura a volta
E senta o corpo nos bastos
Um largo fio de horizonte
Revoluteia o pañuelo
Convidando o caminhante
A jornada retomar

E meu verso encurta a rédea
Taloneia o mouro pampa
Como um gaúcho de estampa
No seu mistério de andejar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s