Guardiões da Pátria Sulina – Marcelo Oliveira


14ª Aparte da Querência do Bugio – São Francisco de Assis – RS – 2009.

GUARDIÕES DA PÁTRIA SULINA

Letra: Paulo Garcia
Música: Paulo Garcia e Márcio Rosado
Intérprete: Marcelo Oliveira

Um prateado que abre o peito
Nas sombras da madrugada
A aurora ganha forma
Na silhueta da potrada

O sol dormiu nos pelegos
E um fronteiro saltou cedo
Trazendo o dia nos tentos
E cavalhada formada

Encilha moldada a lombo
No ritual dessas quarteadas
Na procissão primitiva
Das preces das camperiadas

Romaria de campeiros
Que rezam o terço dos freios
Comungam preces de arreios
Na procissão da invernada

É o pontão do continente
Que acorda o cantar dos galos
Afirmando a geografia
No encontro destes cavalos

Estes parceiros de mate
Das madrugadas serenas
São guardiões destas fronteiras
Da minha pampa torena

Raíz de pampa firmando
Feito um centauro rondando
Trazendo um clarim berrando
No florão das nazarenas

Quem tem a pátria no sangue
Traz o Rio Grande no basto
Com a trilha da liberdade
Desenhada pelo casco

Quem tem, demarcou fronteiras
Mandando a essência campeira
Busca as forjas fogoneiras
Com a alma cheirando a pasto

É a minha gente pampeana
Guardiões da pátria sulina
Bordando a bandeira gaúcha
Bem antes da Cisplatina.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s