Beira Estrada – Joca Martins


3º Um Canto Para Martín Fierro – Santana do Livramento – RS – 2001.
Prêmio de Melhor Intárprete para o Joca Martins.

BEIRA ESTRADA

Letra: Gujo Teixeira
Música: Joca Martins e João Marcos “Negrinho” Martins
Intérprete: Joca Martins

O meu destino, sem qurer, perdeu-se
por estas estradas, desde de onde eu vim.
Busco entendê-lo, sem saber, por certo,
se esse é o caminho que escolhi pra mim…

Sonhei com a brisa, amanheci ventando
e os ventos vieram me dizer adeus,
foram anunciando despedida e poeira
aos olhos tristes que nem eram meus.

Assim que a casa se perdeu de vista
e o que ficou, morreu sem demora,
até seus olhos me olham mais tristes
quando, na chuva, uma janela chora.

Somos assim, iguais nesse abandono,
só essa saudade, bem maior, é minha.
Ergueu-se a casa de tijolo e sonhos
pra, beira estrada, amanhecer sozinha.

Passam viajeiros, outros sonhos tantos,
em frente à porta, sem um rumo certo.
Quem sabe cheguem pra tomar um mate,
se enxergarem um coração aberto.

O meu destino, sem querer, perdeu-se…
Quem é que sabe onde anda agora?
Pegou esse rumo da estrada que chega…
Que pena, é a mesma, que se vai embora.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s