Grito de Forma Cavalo – Alcides Rodrigues


3º Canto Xucro Galponeiro – Santana do Livramento – RS – 2012.

GRITO DE FORMA CAVALO

Letra: Alcides Rodrigues
Música: Eurico Moreira
Intérprete: Alcides Rodrigues

Solta de orelha e dá um tapa no “fucinho”!
Bóta os cahorros que eles saem a campo fora;
Tiro o chapéu e aceno pra gauchada
E ‘nas paleta’ eu vou cortando de espora!

Levanto cedo pra tomar meu mate amargo,
Faço uma carne pra mim dar um beliscão!
Pego a sogueira e bóto as vacas pro caseiro,
E já recolho pra lidar com os redomão!

Clarear do dia – grito de “forma cavalo”!
Bóto na soga aqueles mais caborteiros
E ao meio-dia quando os peões vão chimarrear…
Encilho eles, dou uma volta no potreiro.

É dura a vida de um pobre peão de estância,
Porque o trocado que se ganha entra e cai…
Mas o patrão que é amigo da peonada,
Dá ‘umas doma’ para aumentar o salário.

Encilho ele só na hora de descanso
Pra evitar que me chame atenção…
Pra no momento que meter eles no campo,
Tenho certeza na boca ‘dos redomão’!

No fim do mês eu pego quatro salários,
Da meia doma, que o patrão vai me ajudar;
Saio faceiro – de cartucheira forrada,
Chego ‘nas casa’ cheio de amor pra dar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s