Marca – Francisco Oliveira


3ª Salina da Canção – Balneário Pinhal – RS – 2016.
Composição premiada com o Segundo Lugar.

MARCA

Letra: José Carlos Batista de Deus
Música: Caine Teixeira Garcia
Intérprete: Francisco Oliveira

Quando se fala de marca
Logo se pensa no gado
Porque não temos no couro
Nenhum brasão estampado.

Nos portões das ferrarias
Há marcas colecionadas
Tal qual na alma da gente
Se quedam enraizadas.

O ferro em brasa queimando
Garante a posse de um dono
E às vezes é menos bruto
Que a marca de um abandono.

Nos que defendem a pátria
Por terem sangue nas veias
Consciência é cova de touro
Que é marca de quem peleia!

A marca é cerne que fica
Depois que a casca se vai
É o gen que se multiplica
E conserva o jeito do pai!

Por certo as marcas externas
Com o tempo são cicatrizes
Porém aquelas de dentro
Têm mais profundas raízes.

A marca de um bem querer
Pode mudar a existência
Feito o perfume da flor
Sendo presença ou ausência.

O lombo que tem basteiras
Sempre perdoa os arreios
E a marca então justifica
Todo o mau uso dos meios.

Por isso que o canto simples
Não é “moda” nem momento
E ganha o nome de “marca”
Baseado em seu fundamento!

A marca é cerne que fica…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s