Batendo Estribo Com o Sol – Arthur Mattos


4ª Nevada da Canção Nativa – São Joaquim – SC – 2009.*

BATENDO ESTRIBO COM O SOL

Letra: João Sampaio e Odenir dos Santos
Melodia: Filipe Corso
Intérprete: Artur Mattos

Soy péon de la raza gaucha
Cruza de bugre e espanhol
Un hijo de la fronteira
Que canta igual rouxinol
E gosta de andar na pampa
Batendo estribo com sol

Trago a melena tordilha
Queimada de vento e geada
Guardo aguaceiros no poncho
Poeira de ronda e tropeada
E ganas de bater estribo
Com sol caliente da estrada

Gosto de um potro crioulo
Que se entorte igual a anzol
De bombeá os bicho do mato
Cantando no arrebol
E pegar o dia por diante
Batendo estribos com o sol

Mesmo pra mim, viramundo
Às vez me falta um tchê amigo
Com um catre a dois, com uma guaina
E um saludo dos antigo
Um fogo de galpão grande
E um sol pra mim bater estribo

Pido a mi Diós soberano
Meu luzeiro, meu farol
Que nunca me prive o canto
Em mi maior ou si bemol
E que eu deixe o mundo cantando
Batendo estribos com o sol

E mesmo na eternidade
Com o olor de girassol
Alla en la pampa del cielo
Con tantos hermanos de escol
Voy correr pencas com o vento
E bater estribo com sol.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s