Na Ponta do Pala – Marcelo Oliveira


10ª Sentinela da Canção Nativa – Caçapava do Sul – 2012.

NA PONTA DO PALA

Letra: Juca Moraes e Carlos Omar Villela Gomes
Música: Marcelo Oliveira
Intérprete: Marcelo Oliveira

Na ponta do pala sequei meu suor,
No gris do seu pano me fiz – despedida;
Ficou o meu pranto salgado de dor,
Lembrando a querência, depois da partida.

A ponta do pala na anca do mouro
Protege das garras da geada traiçoeira…
Meu “anjo da guarda” pras aspas de um touro;
Meu rancho e abrigo no frio da fronteira!…

Na ponta do pala encurto as distâncias,
Sorvendo o perfume que a prenda deixou;
Suspiros da noite, paixões e lembranças,
Histórias bonitas do tempo do avô…

Na ponta do pala – a paz que renasce,
Secando a face do filho que chora…
Unhadas do vento, buracos de bala;
Na ponta do pala minh’alma se escora!

A ponta do pala, por vezes, se enreda
E tudo tropeça no vão da porteira;
Por outras, se embala nas asas do vento,
Campeando futuro, qual fosse bandeira.

No mais, vou cantando – somando recuerdos…
Rastreando segredos que a alma não fala;
A franja puída, manchada de vinho
E o pó dos caminhos na ponta do pala.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s