Das Lidas de Um Campesino – Marcio Nunes Corrêa


6º Chamamento da Arte Nativa – Santana da Boa Vista – RS – 1998.

DAS LIDAS DE UM CAMPESINO

Letra: José Carlos Batista de Deus
Música: Marcio Nunes Corrêa
Intérprete: Marcio Nunes Corrêa

Este ar de debochado me falquejando a feição,
Não tenho por tradição tampouco de nascimento,
É que me paro no jeito, no lombo desta rosilha…
A prata das maçanilhas pra um trono de um charrua
Ir de namoro com a lua pelas várzeas e coxilhas.

Trago estrelas palanqueadas pela volta do garrão,
Me gusta um bagualão perdido nos meus espinhos;
A lida me deu por lei, que virilha de malino
É um mapa que um campesino tem pra riscar seus caminhos.

Tirador couro de pardo por sobre a bombacha larga,
Guaiaca com pouca carga, chapéu tapeado a capricho…
Pra retoçar no bolicho – meu pala de seda pura –
Velho rincão da ternura lhe batizou com a linda,
Que, certo dia, na vinda, me alegrou a noite escura.

Um laço de quatro tentos curado à aspa de boi,
Foi largar e já se foi, é vez de mostrar o braço,
A armada voa no espaço e vai pousar nos dois tombos…
No retinir da presilha, são dez pontos na planilha,
Montado nesta rosilha é fácil ganhar uns trocos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s