Vida de Peão – Rogério Villagran


2ª Estância da Canção Gaúcha – São Gabriel – RS – 1996.
Prêmio de Melhor Indumentária para Rogério Villagran.

VIDA DE PEÃO

Letra: Rogério Villagran
Música: Ênio Medeiros
Intérprete: Rogério Villagran

Com minha mala no ombro, chapéu de aba tapeada
Um “pañuelo” colorado e o pala da cor da geada
Quando o sol mostra o “fucinho” entre os ramos da canhada
Eu já tô com “as troxa” pronta esperando na parada

A embarcação barulhenta se arrasta batendo lata
Levo lembranças amigas, “recuerdo, saludo e plata”
Esta noite eu perco a doma e arrasto as alpargatas
Lá no rancho do Abrelino e nos braços de uma mulata

De vez em quando, quando posso
Dou uma “voltita” no povo
Tiro uns três ou quatro dias
De retoço com “as guria”
E volto pra estância de novo

“Já paguei conta atrasada
Sempre fui bom pagador
E na rua do chapéu
Posei enredado de amor
Comprei um par de bota nova
E um poncho bueno, de fato
E domingo gastei “uns trago”
Com “as moça” do maragato”

Segunda-feira, bem cedo, acordo “loco” de pena
De não ter guardado um quilo pros carinhos da morena
Volto à estância novamente, pois esta vida é um confronto
“Rebentando” aspa de boi, trompando égua dos encontro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s