Manuscrito – Kiko Goulart e Rafael Machado


1º Canto do Barreiro – Urupema – SC – 2017.

MANUSCRITO

Letra: Rafael Machado
Melodia: Roberto Borges
Intérprete: Kiko Goulart e Rafael Machado

Amontoado bendito
de moradia e encerras…
Quem te escreveu sobre a terra
em forma de um manuscrito
fez um poema bonito
com boa rima e ternura;
fascina pela estrutura,
pelo cuidado ao tratar…
Prende os olhos, rouba o ar
desde a primeira leitura!

À tua volta nos caminhos,
antes tempo corredores,
caem folhas, brotam flores,
erguem-se teias e ninhos…
Grilos sapos, passarinhos…
Todos cantam, ninguém chora!
Só a gente que não mora
nas tuas proximidades
lamenta barbaridade
por precisar vir embora.

Eu, cada vez, creio menos
nesse eito de conversa
sobre vidas depois dessa,
justamente, que vivemos,
mas se existe um ser supremo
– talvez bruxo ou feiticeiro –
repensando paradeiros
que já esteja consciente:
– Se é pra voltar novamente
que seja então pro Barreiro!

Depois pra uma terceira
viage – oportunidade –
volto matar a saudade
da mi’a querência primeira…
Cinamomos e figueiras,
banho de rio… Santo Deus!
Que um sujeito que nem eu,
ainda que ressuscite,
não é feliz – acredite –
longe do chão que nasceu!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s