Campereada – Everson Maré


19ª Estância da Canção Gaúcha – Sao Gabriel – RS – 2012.

CAMPEREADA

Letra: Fernando Soares
Música: Jari Terres
Intérprete: Everson Maré

Que linda mirada me adentra nos olhos
– Um naco de pampa beirando a canhada…
E o sol madrugueiro que estende o varzedo,
Põe vida na estância, no altar da invernada.

O rancho que mira por sobre a coxilha,
– A velha silhueta que o campo conhece,
Um par de campeiros no rumo da lida,
Na mesma querência que o pago amanhece.

Meu pingo troteia de largo, por diante,
Pois saio na volta que cruza a picada;
Quem sabe descubra algum abichado
De alma groteira e sina extraviada…

O vento levanta nas horas do campo
E um pala floreia, luzindo o potreiro…
Um cusco ovelheiro, por bueno, de fato,
Campeia algum rastro de um sorro matreiro.

Um touro brasino sentindo o mormaço,
Faz ronda no passo da sanga atorada
– Que buena aguada que, outrora, tropeava…
Se o vento soprava do norte da estrada.

Eu saio campeando nos fundos do campo,
Na volta do cerro, costeando alambrado…
Reviso a cruzada que a seca descobre
E um lote de pampa recém desmamado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s