Légua e Pico – João de Almeida Neto


10ª Sapecada da canção Nativa – Lages – SC – 2002.

LÉGUA E PICO

Letra: Mauro Moraes
Melodia: Mauro Moraes
Intérprete: João de Almeida Neto

Tá feio o olho da petiça,
A côsa anda mesmo braba…
Tem gente virando os arreios,
Tem gente errando a bolada.

Tá tudo pelas carona
Cortando campo nas invernadas,
Poncho de pano, botas rosilhonas
E uma garoa galopeando a estrada.

Peão campeiro, peão das confianças
Sabe o serviço que lhe custa a bóia…
Bombeando a tropa, talareando o gado,
De lombo arcado, tironeando a alma.

Vida pecuária, lida de estância,
Pátria moldada pelos mananciais,
Conhece bem o ponto da sesteada,
Campeando as garras, por assim no más!

Falta légua e pico
E um chamamecito, amanhã ou depois…
Vem dá ná telha, lambuzando a fuça,
E nem que a vaca tussa, fróxa o coração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s