Tempo Torcido – Lisandro Amaral

9º Canto Farroupilha – Alegrete – RS – 2017.

TEMPO TORCIDO

Letra: Lisandro Amaral
Melodia: Lisandro Amaral
Declamação: João Antônio e Maria Rita
Intérprete: Lisandro Amaral

Dez braças tempo torcido em rodilhas de esperança
na vida o tempo é uma trança sovada pelo tirão
quantas vezes no rincão te viram sovéu amigo
suando a vida comigo quando saias da mão!

E depois que o berro grosso caia chamando a poeira
não carecia porteira a encerra do meu bom dia
boi, potro ou gado de cria, laçamos pela destreza
e hoje atado às incertezas primo-irmão da nostalgia

Te ver renovado ao tempo ainda grosso e genuíno
o avesso do laço fino com chumbo e tinta na trança
longe da mão da criança judiando terneiro novo
vejo a trança do meu povo ramalhada na esperança

Mas fica atada à garupa dum doradilho de luxo
o meu jeitão de gaúcho perpétua, inércia de um não
que é um grito do coração quando desato um amigo
que chora a vida comigo se eu abro as asas da mão.

Me ajuda sovéu gaúcho a laçar meu tempo antigo
Valores correm perigo e eu teimo em te armar guerreiro
Neste tempo cancioneiro onde o canto sul do mundo
Verte em lágrimas – profundo – querendo ser brasileiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s