Versos Para Uma Flor – Rogério Melo


14ª Vigília do Canto Gaúcho – Cachoeira do Sul – RS – 2003.

VERSOS PARA UMA FLOR

Letra: André Oliveira
Música: Rogério Melo
Intérprete: Rogério Melo

Lembro o brilho do olhar que ofusca a boieira,
O semblante radiante que acende a centelha;
Deste meu coração és a flor do rincão
Que dá inveja às estrelas!

A ânsia do pingo se afoga na aguada,
No azul esverdeado destas amplitudes;
O rangido do basto, numa cantilena,
Saluda a campanha do jeito mais rude
E um fio de prata escorre da cincha…
E o mouro relincha, pateando no açude.

O vento que chega me traz o aroma
Da bela do rancho – lábios de pitanga!
Entao eu apeio pra matar a sede
E adoçar minha alma no espelho da sanga.

Só a primavera que traz a florada
Rebrotando o pasto da estância torena,
Pelas invernadas olfato teu cheiro,
Por entre os campestres da pampa serena
O sol adormece, a tarde se atora…
E é chegada a hora de rever minha morena!

Desencilho o pingo no oitão do rancho!…
Oreando os arreios sob a ramada;
O amargo cevado me espera, espumando…
Enquanto retoça – latindo a cuscada,
Eu colho o mate das mãos da donzela
E ofereço pra ela uma flor colorada!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s