Inquietude – Marcelo Oliveira


1º Festival da Canção Nativa Flor de Maio – Três de Maio – RS – 2017.

INQUIETUDE

Letra: Xirú Antunes
Melodia: Zé renato Daudt
Intérprete: Marcelo Oliveira

Embora o urbanismo lhe cobre,
Não é dali, não tem jeito,
É feito um campo verde
Pisando o asfalto negro.

Bolicheia domingueando,
Num vilarejo povoado,
Tem um sorçal de lembranças,
Picaneando a cada passo.

A adolescência das tardes,
A sesta pelo galpão,
Paz morena estendida
Na conveniência do chão.

Mate rondando o fogo,
Convivência de alpargata,
Sugerindo ouvir silêncios
Pelos caminhos da alma.

Desafinada guitarra,
Terrunha em cada bordão,
Cumplicidade de acordes,
Com as coisas que vem do chão.

Pra quem atirou na terra,
Esperanças sementadas,
E cuidou cada palmo
De potreiro e invernada.

Pra quem teve um bom cavalo,
Uma figura machaza,
Parecia de um baralho,
Tordilho, apalpando a estrada.

A inquietude éadaga,
Inportuna de recuerdos,
Insônia e desassosêgo
Que passa a noite acordada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s