Em Mates de Espera – Eduardo Maycá


11º Canto Missioneiro da Canção Nativa – Santo Ângelo – RS – 2018.
Composição premiada com o Segundo Lugar na Etapa Local.

EM MATES DE ESPERA

Letra: Claudio Reinke
Melodia: Carlos Eduardo Maycá
Intérprete: Eduardo Maycá

Cevo meu mate solito,
Num peito quase tapera,
Só de parceiro o silêncio
E o cheiro da primavera.
Recuerdos de amor distante
Num mate feito de espera.

Para espantar a saudade
Cambona se faz vertente,
Regando o peito esperança
Passado se faz presente
Correntezas de lembrança
Meus olhos se faz enchente.

Mato com mate a saudade
Antes que ela me mate,
Solidão e reencontro
Comungam do mesmo mate.

O mate já está lavado,
Cansado de madrugada
Emolduro a tua imagem
Em luzes de alvorada
Sol clareia no horizonte
Prenúncio da tua chegada.

Coração se faz porongo
No chimarrão alcançado
Troca de mão essa cuia
Parece verso rimado,
Melhor sabor tem o mate
Quando para dois é cevado.

Mato com mate a saudade
Antes que ela me mate,
Solidão e reencontro
Comungam do mesmo mate.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s