Lavando a Égua – César Oliveira


10ª Estância da Canção Gaúcha – São Gabriel – RS – 2002.

LAVANDO A ÉGUA

Letra: Mauro Moraes
Música: Mauro Moraes
Intérprete: César Oliveira

Empeçando no serviço,
Bombeando as barras do dia…
A saudade lambe a cria,
Vertendo água dos olhos,
E se acampa nos rodeios,
Campeando os lanhos da alma
Recaus que arrasto, por balda,
Pro lombo do meu cavalo!

Assim vou levando a vida,
Montado n’algum lombilho…
Bem tosado a cogotilho,
No velho estilo campeiro.
Com a negaça dos meneios,
Depois que sento os arreios
E tiro qualquer costeio
Do lombo do meu cavalo!

Que “cosa” buena, vidinha!
Que “cosa” buena…
Um verso trocando orelha,
Cutucando na paleta!
“Cosa” gaúcha…
Que “cosa” mais bem gaúcha!
Onde a gente mete a fuça,
O Rio Grande “veiaqueia”!

Quarto de milha com crioulo,
Pêlo tostado queimado,
Tapado, solto das patas,
Macio de boca, e ligeiro!
Amigo, daqueles buenos,
Parceiro pra toda lida,
Que a vida sempre amadrinha
Pra junto do meu costado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s