Campaneando – Leôncio Severo


1ª Aldeia da Música do Mercosul – Gravataí – RS – 2004.

CAMPANEANDO

Letra: Rogério Ávila
Melodia: Érlon Péricles
Intérprete: Leôncio Severo

Até logo e pé no estribo,
Campaneando pela estrada,
Que o meu pago é mais adiante
E eu venho de alma tangueada.

Pra desatar o bocal dum mouro
Baixo a canhada,
Que o repecho é pra o gateado,
Vaqueanaço das cruzadas.

De poncho e laço nos tentos,
Sobrero de alma tumbeada…
Estampa de estância antiga,
Cerne de pampa mirada.

Rebojando um vento morno,
No passo, a sanga atorada;
Ao me topá com um bolicho,
Mato a sede embotellada.

Una coplita de ronda
Me llega em noche estrellada,
Me alembro dos zóio dela
Me espiando da ramada.

Assim eu tóco pra diante,
Pois venho de alma tangueada
Até logo e pé no estribo,
Campaneando pela estrada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s