Versejando – Nenito Sarturi


1º Ponche Verde da Canção Gaúcha – Dom Pedrito – RS – 1986.

VERSEJANO

Letra: Nenito Sarturi
Música: Pedro Neves
Intérprete: Nenito Sarturi

Bóto o basto na poesia
Quando a aurora se debruça,
Pressinto a barra do dia
E o faro logo se aguça.

Total, se sou mal dormido,
Não me gusta amamhecer…
Cantando um verso comprido
Só pra ver o sol nascer.

Bato casco no bordão,
Troteio lento na prima!
Puxo a gaita de botão
E o fóle xucro se empina!

O verso é uma consequência
Pra quem canta a vida inteira
E vem beber a querência
Neste retorno à fronteira.

O rio cruza corcoveando,
Bagual solto e desconfiado,
Como a mandar, mareteando,
Que eu cante um verso rimado.

Nos mates largos que sorvo
Ao cheiro do campo em flor
E o ventre da mata virgem
Despindo o verde frescor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s