Xucra – Jari Terres


18º Acampamento da Canção Gaúcha – Campo Bom – RS – 2020.

XUCRA

Letra: Jari Terres
Melodia: Jari Terres
Intérprete: Jari Terres

Me chamam xucra e de campo
Galponeira, sem costeio
De variadas e melodias
Entre assovios e floreios
Contraponteada de esporas
E de rangir de arreios.

Sou eu a milonga xucra
Parida nas madrugadas
No ritual das encilhas
No riso largo da peonada
Sou pingo manso de freio
E potro de boca atada.

Andei cruzando fronteiras
Alegrando pulperias
Fui compasso de relatos
Por guitarras y tolderias
Acalentando romances
De rancho, em noites frias

Sou eu recorrendo a invernada
Nos campos de pega-pega
Sou grito de upapapa
Quando algum potro se nega
Quebrando geadas de agosto
Estralando pasto e macega.

Sou xucra e não tenho pelo
Já largo pronto o improviso
Me gusta torear algum maula
As vezes me agrada um sorriso
Sou calma de sanga se quero
Sou fúria de rio se preciso.

Mas não desfaço a milonga
Que fala em trança de fita
Me faço um florear domingueiro
Campeando alguma visita
Mesclando milonga e perfume
Com olhar de moça bonita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s