Junto à Última Porteira – Índio Ribeiro


18º Acampamento da Canção Gaúcha – Campo Bom – RS – 2020.

JUNTO À ÚLTIMA PORTEIRA

Letra: Juliano Santos
Melodia: Índio Ribeiro
Intérprete: Índio Ribeiro

Zé das cordas foi guasqueiro
nas bandas de Timbaúva.
Perdia-se entre seus tentos
nos dias calmos de chuva,
Maneador, rédea e rabicho,
Peiteira, mango e buçal,
bocal forte e cabeçada
pra sujeitar um bagual.

Zé das cordas, guitarreiro…
pra os fandangos da vilinha…
Dedilhava um violão velho,
era tudo o que ele tinha.
Despachado e voluntário
se envolvia a noite inteira,
inda mais quando chorava
junto dele a Botoneira

Violão, gaita e pandeiro
e um trago de vinho tinto,
para adocicar a alma
no mais terrunho instinto.
De campear algum namoro
Pelos volteios da sala,
enredando alguns carinhos
nas franjas rubras do pala.

Zé das cordas, no alambrado,
segunda feira bem cedo,
estirava o fio de cima
junto à sombra do arvoredo.
Repartinho a invernada,
de um piquete ele fez dois
garantindo sombra e água
para uns vinte ou trinta bois.

Assim viver Zé das cordas,
morador da Timbaúva.
que deixou esta querência
num outro dia de chuva.
Silenciou a pampa inteira
quando um raio o encontrou
junto à última porteira
que ele mesmo estirou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s