Temperando a Vaneira – Antonio Gringo e Os Quatro Ventos


15ª Tertúlia Musical Nativista – Santa Maria – RS – 1995.

TEMPERANDO A VANEIRA

Letra: Ivo Barros de Brum
Música: Sérgio Rosa
Intérpretes: Antonio Gringo e Os Quatro Ventos

Tentei fazer uma vaneira de salão
Pra ser fandango num vestido bem rodado,
Que rebrotasse em cada gaita de botão
E se espalhasse pelo chão bem encerado.

Minha vaneira tem gosto de tradição,
Tem o ruído do fundo das invernadas,
Tem o perfume dos cabelos da morena
Que eu roubei no calor das madrugadas.

Minha vaneira foi feita pra ti sorrir,
Minha vaneira foi feita pra ti dançar!
É uma armada do meu laço guarany
Que eu fiz pra ti, querendo te pealar!

Minha vaneira é flor do campo que vingou,
Venta de potro bafejando no capim,
É a alma xucra da herança guerrilheira
Da cor do sangue que corre dentro de mim.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s