Lagoa das Tordilhas – Marcio Nunes Corrêa e Fabiano Bacchieri


18ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 1998.

LAGOA DAS TORDILHAS

Letra: Marcio Nunes Corrêa
Música: Fabiano Bacchieri
Intérpretes: Marcio Nunes Corrêa e Fabiano Bacchieri

A noite abraça a tarde na calma dessas planuras,
estrelas luzem lonjuras no carnal do horizonte…
quatro cascos, trote largo… lua virada no pasto
e o firme canto dos bastos na volta de um reponte.

Um quero-quero faz carga na copa do meu sombreiro
e um assobio campeiro se desprende num floreio;
uma marreca choca, sobre o juncal, revoa…
já entrando na lagoa, alço o pingo no freio!

Sesteando na beira d’água, dois capinchos, de parelha,
e o mouro, batendo orelha, mata a sede, apurado;
por riba de um aguapé o silêncio até recua
pra um sapo que aperta a pua, num sapucay desdobrado!

Quando olhares pirilampos surgem pela noite preta,
espichando silhuetas no espelho do remanso,
tordilhas negras e claras com sestro, olhando por cima,
desfraudando cola e crina pra o vento que sopra manso…

Uma garça estende o poncho pelo lombro de uma potra
que, corcoveando marota, num nado logo se acampa…
rebolca a tordilha grande, abre um claro na tropilha
e, a galope, se perfila pra beber goles de pampa.

Bombeando as éguas se irem, penso que lindo seria
se a bagualada bravia que governa nosso mundo,
amansassem suas almas, tomando tino e rumo,
nos permitindo consumo da paz que há nestes fundos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s