Na Flor dos Remansos – Rodrigo Duarte


13ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2005.

NA FLOR DOS REMANSOS

Letra: Rodrigo Duarte e Mateus Neves da Fontoura
Música: Rodrigo Duarte
Intérprete: Rodrigo Duarte

Tranqueia o rio num gauderiar de andejo
Costeando salsos, negaceando as pedras;
Bruma, quimeras, junto às corredeiras,
Leva a balseira às canções de espera.

Vaga sereno num destino manso,
Afoga mágoas pra espantar quebrantos;
Quando o céu – manto bordado de estrelas –
Boleia penas na flor dos remansos…

Ah! Nos olhos do cantador…
O mesmo remanso, em flor, sentindo o céu por um fio.
Ah! Nos olhos do cantador…
O leito caminhador da correnteza do rio.

Igual ao rio, num andejar constante,
A vida segue a desaguar caminhos,
Campeando ninhos e horizontes novos
Pra ter, saudosos, os que vão sozinhos.

Na flor dos olhos também desce um rio,
Além da dor a espelhar as mágoas,
Vertentes largas de saudade antiga,
Terna cantiga ao passar das águas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s