Quando a Saudade Se Agranda – Joca Martins


15ª Vigília do Canto Gaúcho – Cachoeira do Sul – RS – 2004.
Composição premiada com o troféu de Melhor Arranjo.

QUANDO A SAUDADE SE AGRANDA

Letra: Rodrigo Bauer
Música: Joca Martins
Intérprete: Joca Martins

Que bueno encilhar um mouro,
Sair cortando caminhos!
Quem ruma para um namoro,
Não estradeia sozinho.

O coração me comanda,
Vai compassando as chilenas.
Quando a saudade se agranda,
Qualquer distância é pequena!

Mesmo que o sol mande brasa,
Querendo se apear do céu,
A sombra da minha casa
É a aba do meu chapéu.

E quando a chuva desanda,
Meu poncho é um rancho torena!
Quando a saudade se agranda,
Qualquer distância é pequena!

Saio assobiando cantigas
Pro coração se acalmar,
A estrada é a melhor amiga
Pra quem anseia em chegar.

A alma aos poucos se agranda,
Ensaio uma cantilena…
Quando a saudade se agranda,
Qualquer distância é pequena!

O que me adoça o capricho
É alguém que fica na espera,
Pois quem não tem um cambicho,
Vai se tornando tapera!

O mouro sabe onde anda
E a vida vai tão serena.
Quando a saudade se agranda,
Qualquer distância é pequena!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s